Destaque Informativos Notícias — 22 junho 2018

Engana-se quem pensa que a Lei 13.467 (da Reforma Trabalhista) fosse enfraquecer a disposição de luta dos Sindicatos. Ao contrário. Estamos vivos e ativos. Nosso papel redobrou de importância. A luta para defender os direitos dos trabalhadores diante da força econômica dos patrões está viva e atuante.

Prezando a valorização da categoria securitária e a manutenção dos direitos e benefícios conquistados, nas exitosas negociações pretéritas, ontem (21/06/2018) em reunião com o SINCOR/PR, chegamos a um impasse intransponível, não aceitamos perder vantagens que diminuam a renda mensal do trabalhador, que prejudique a qualidade de vida de toda a categoria.

Durante os encontros de negociações chegamos a propor uma negociação com o viés da teoria do conglobamento, onde parágrafos e cláusulas poderiam ser “retirados” da CCT, desde que valores destes fossem compensados financeiramente em outras cláusulas; caminhávamos ajustando algumas redações, mas infelizmente não logramos êxito, até o momento. Necessário for, iremos à Dissidio Coletivo.

Cabe aqui, demonstrar nossa disposição contínua em estabelecer um processo de diálogo ético, profissional e transparente:

– Em 24/11/2017, entregamos ao SINCOR/PR a pauta de reivindicação para a renovação da CCT/2018 – sem resposta;

– Em 18/12/2017, com requerimento do SINDSECUR ao MTE/SRTE, para mediar às negociações, devidamente convocado o SINCOR/PR, não compareceu;

– Em 27/02/2018, nova mesa de negociação, com mediação do MTE/SRTE; o SINCOR/PR comparece, mas não apresenta qualquer disposição de negociar, não garantem a DATA BASE, alegam que aguardam estudo da FENACOR; pediram mais 30 dias para o início da “negociação”, o que não foi cumprido;

– Em 17/04/2018, nova reunião no MTE/SRTE, onde o SINCOR/PR apresenta proposta de agendamento de reunião, na sede do SINCOR/PR para o dia 23/04/2018; comparecemos e iniciamos as preliminares;

– Só em 26/04/2018 através de e-mail o SINCOR/PR nos encaminhou uma minuta de Convenção Coletiva de Trabalho, para que essa fosse admitida como contraproposta para discussão e aplicação em nosso Sindicato.

De pronto foi recusada, pois apresentava retirada de direitos conquistados ao longo de anos, em nada era “moderna” ou “adaptada” à nova legislação trabalhista, era sim “velha” e “ultrapassada”! Queria sim a retirada de benefícios! E em 04/05/2018, respondemos propondo ajustes na redação das cláusulas.

Conforme fomos paulatinamente divulgando em nosso site, não tivemos sucesso.

– E ontem (em continuação das reuniões dos dias 23/04 e 05/06) buscávamos concluir o processo de negociação para firmar a CCT/2018, estabelecendo segurança jurídica nos dispositivos acordados.

O SINDSECUR/PR, como entidade de respeito e de reconhecimento nacional estará sempre pronto e à disposição para participar de estudos, onde busquem a modernização e adequação dos instrumentos coletivos à nova ordem da legislação trabalhista.

Em outros Estados, onde os Securitários assinaram a CCT/2018 com o SINCOR, não houve retirada de benefícios e não será aqui no Paraná que aceitaremos qualquer redução dos direitos do trabalhador!

Para maiores detalhes e informações nos contatem!

Estamos juntos e juntos somos mais fortes!

Curitiba, 22 de junho de 2018.

Regina L.T.D. Freitas
Presidente
Sindicato dos Securitários do Paraná

 

Share

About Author

Marcia Schultz

(0) Readers Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *