Destaque Imprensa — 26 março 2015

Inflação na primeira quinzena de março na capital fica em 1,72%, acima da taxa de fevereiro. Energia, alimentos e combustíveis puxaram aumento

Considerado uma prévia da inflação oficial, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) acelerou na região de Curitiba na primeira quinzena de março, registrando a maior alta entre as 11 capitais pesquisadas. A taxa fechou em 1,72% – 0,63 ponto porcentual acima da taxa de fevereiro (1,09%) – e 0,48 ponto maior que a média nacional, que ficou em 1,24%. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (20) pelo IBGE.

As altas na energia elétrica, nos combustíveis e nos alimentos foram responsáveis por quase 80% do IPCA-15 de março. As contas de luz ficaram 10,91% mais caras, devido ao reajuste nas tarifas e nas bandeiras tarifárias. A parcela referente à bandeira tarifária vigente, a vermelha, aumentou 83,33%, de R$ 3,00 para R$ 5,50, repassando ao consumidor o custo mais alto do acionamento de usinas térmicas para a geração de energia.

O IPCA-15 da Grande Curitiba foi puxada para cima, principalmente, por causa das altas nas tarifas de energia elétrica (14,89%), transporte público (10,95%) e combustíveis (8,52%). Julio Suzuki, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), afirma que o custo com alimentação também aumentou no período (2,38%). “Os alimentos sofrem uma oscilação de preço muito maior por causa de fatores sazonais. Também pode ter ocorrido alguma interferência na distribuição por conta dos bloqueios dos caminhoneiros, que foram intensos no estado”, diz.
Segundo Suzuki, o aumento de preços públicos, como as tarifas de energia e transporte, ocorreu de forma semelhante em todas as regiões brasileiras. Depois de Curitiba, os maiores índices do IPCA-15 foram registrados em Fortaleza e Porto Alegre (ambos com 1,38%); Goiânia (1,34%); Salvador (1,33%); e São Paulo (1,25%). Já as menores taxas foram as de Belém (0,76%), Brasília (0,82%) e Rio de Janeiro (1,1%).

Share

About Author

Bel

(0) Readers Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *